terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Eu "fui" a crítica convidada da Folhinha!

Olá pessoal,
Morri de amores esta semana. Saiu no caderno infantil, Folhinha, da Folha de São Paulo, uma resenha minha sobre um livro que li e amei demais!
A Poesia da Primeira Vez, da autora Stella Maris Rezende.
Espero que curtam!
Beijinhos



terça-feira, 25 de novembro de 2014

Leitura do dia, O Caso do menino enrolado, de Jonas Ribeiro


Olá pessoal,

hoje farei a resenha de um livro hiper legal, O caso enrolado do menino calado, de Jonas Ribeiro.



Vou começar falando que adorei, adorei, adorei a capa e as ilustrações! A princípio, não entendi a orelha do livro (quando eu digo orelha, eu digo, literalmente!), Mas depois que li, entendi tudo!
O livro fala sobre Amélia, uma pulga que queria encontrar um lugar para montar o seu escritório de fofocas.
Procurou em cachorros, em edredons e até na perna da vovó, mas o lugar, realmente perfeito era na orelha esquerda do Beto, um menino que andava muito triste por um motivo que Amélia desconhecia.
Quando soube da tristeza de Beto, a pulguinha conversou com a orelha e resolveu ajudar.
Desceu a escada para a porta do coração e lá começou a vasculhar tudo. Lá dentro, havia uma estante cheia de gavetas, onde Beto guardava todos os seus sentimentos. Amélia encontrou um tablet e nele havia um arquivo da conversa da mãe de Beto com a sua tia Nica. O diálogo, não vou contar, né gente? Pois a partir dele, Amélia conseguiu resolver o problema de Beto, e foi de uma forma bem criativa!
Não deixem de ler, é muito divertido!
Indico muito para todos que gostam de um texto bem escrito e de uma história muito criativa, cheia de invenções! Nota dez! <3

Curiosidades:
  • Beto tinha o mesmo sonho que eu no passado (quem já leu o meu livro A menina que tinha cães invisíveis, vai saber logo!)
  • O livro tem muitas expressões, como “botar a boca no trombone”, “ficou com seus botões”, “ficou com a pulga atrás da orelha”. Acho que elas caíram muito bem na história!
  • Eu achei a orelha um lugar perfeito para uma pulga fofoqueira morar. Vocês não acham?
  • A Amélia adora comer pipocas, e eu também!

O que mais gostei:
  • Que Amélia deu um jeito super divertido de resolver o problema de Beto.

O que eu não gostei:
  • Neste livro não teve nada que eu não tenha gostado!


Sinope:
Amélia, uma pulga pra lá de tagarela, resolve ir morar atrás da orelha esquerda de Beto. Acontece que Beto é um menino calado e esconde um desejo peludo barulhento no fundo do coração. Agora é que Amélia vai fazer de tudo para descobrir que desejo maluco é esse! Acompanhe a aventura desses dois amigos, que descobrirão que uma pulga e um menino têm muito em comum!

O caso enrolado do menino calado, de Jonas Ribeiro.
Ilustração: Fábio Sgroi
Editora: Suinara




terça-feira, 18 de novembro de 2014

Jonnie, de Guido Van Genechten



Olá pessoal,

hoje farei a resenha de um livro que retrata a rejeição que sofrem pessoas diferentes. Bom, não é bem uma pessoa, mas é Jonnie, um simpático “menino-aranha”.

Jonnie era uma aranha que sofria com isso. Em qualquer lugar que chegava todos só gritavam e logo depois fugiam.
Ele nunca perdia a esperança. Então, no seu terceiro aniversário, tentou convidar alguns animais para comerem o bolo com ele. Mas, todos fugiam antes mesmo de Jonnie dizer: eu...
Ele tentou falar com o gafanhoto, a abelha, a borboleta, o caracol e a minhoca. Que pena! Não adiantou nada!

Acho uma bobagem, porque todo mundo é diferente, ninguém é igual.
Fiquei triste pelo personagem do livro, porque ele só queria ter amigos, mas nunca conseguia.
Aprendi que você pode realmente, ficar triste porque não tem amigos, mas é aí que entra o famoso ditado: Antes só do que mal acompanhado!
Eu mega indico para todos aqueles que gostam de uma história triste, mas que poderia ficar feliz! Como, ninguém sabe, só quem mesmo, quem ler o livro!



Curiosidades:

  • Não pensem que Jonnie é triste, porque além de tudo, ele é muito divertido!
  • A ilustração deste livro, é toda feita com jornal, eu achei isso o máximo!
  • Jonnie, na minha opinião, parece uma menina. Eu fiquei o tempo todo falando, ela, ela, ela rsrsrsrsrs.

O que eu mais gostei:

  • Foi que Jonnie não ligou para o que os outros pensavam, simplesmente esperou acontecer.

O que eu não gostei:

  • Que ninguém deu ouvidos a Jonnie! Ninguém mesmo!



Jonnie, de Guido Van Genechten (texto e ilustração)
Tradução: Janice Florido
Editora: Saber e ler.

Sinopse: Jonnie é uma aranha encantadora, mas ninguém sabe disso. Só você! (E você só ficou sabendo por causa deste livro!)


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Projeto Autores-mirins visita Sorocaba.

Nesta semana o Projeto Autores-mirins visitou a cidade de Sorocaba, em São Paulo.



Na sexta-feira participamos da 1ª Feira Literária na Escola Municipal Maria Domingas Tótora de Góes, a convite da Professora Vivi Schubert e do diretor Eder Proença. 



As crianças e seus pais adoraram o bate-papo com a Nina Krivochein e participaram com perguntas e sugestões na hora do bate-papo. 



Na programação, assistimos ao Espetáculo teatral O Mistério de Feiurinha, pela Oficina do Saber e uma apresentação super especial da Cia. Tempo de Brincar.



No sábado, participamos do bate-papo na Biblioteca Municipal Jorge Guilherme Senger, e conversamos com o público presente sobre nossa paixão pela leitura e também falamos de nossos projetos.

Nina Krivochein ficou encantada com os presentes que ganhou da Prefeitura de Sorocaba e da Escola Maria Domingas Tótora de Góes!




Sorocaba foi uma experiência inesquecível! Saímos de lá com gostinho de quero mais!
(por Joana Cabral)

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Projeto Autores-mirins, cartinha da Beatriz.

Hoje é mais um dia de comemorar.
A cada dia que passa, estamos mais próximos de ir à Sorocaba e conhecer essas crianças maravilhosas!
Hoje estamos postando a história da Beatriz.
É lindo ver uma criança estimulada.
Ainda temos muitas histórias para contar!!!



quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Projeto Autores-mirins, cartinha da Giovana

Ontem o Correio passou aqui em nossa caixinha e nos deixou um pacote recheado de alegrias!
Um monte de cartinhas com lindas e criativas histórias. É de aquecer qualquer coração!
A contagem regressiva para nossa visita à Biblioteca Municipal e à Escola Municipal Maria Dominga Tótora de Góes, em Sorocaba, São Paulo,  já começou!
Vai ser uma linda festa!
A historinha escolhida de hoje é a da Graciosa Giovana, A Menina que queria ter um cachorrinho.






segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Bate-papo na Biblioteca Parque Estadual

Ontem Nina Krivochein participou de uma delicioso bate-papo com sua amiga, a também escritora, Mariene Lino.

© Igor K Marques - Todos os direitos reservados / All rights reserved 


Para comemorar o Dia das Crianças, a Biblioteca Parque, no centro do Rio de Janeiro, convidou as duas autoras-mirins para que falassem sobre seus livros, leituras e projetos.

© Igor K Marques - Todos os direitos reservados / All rights reserved 


As crianças ficaram impressionadas com a tranquilidade e intimidade com que as duas autoras falaram de seu amor pela leitura.

© Igor K Marques - Todos os direitos reservados / All rights reserved 


Aproveitamos a oportunidade para perguntar a algumas crianças o livro que elas mais gostavam e as respostas foram surpreendentes!

Inauguramos o nosso canal no youtube com esse evento e a partir deste mês, sempre teremos novidades por lá!

Não deixem de seguir.

Para acessar o o canal, clique na imagem.


(por Joana Cabral)

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Primavera de piquenique!

Oi pessoal,
A Nina Krivochein começou bem a primavera deste ano.


No último domingo, 28 de setembro, ela foi convidada para um piquenique super legal promovido pela revista (que ela é colunista) Nice For Kids (.com.br) e pelo Bolimbola Festas e Eventos.
Foi um dia muito especial porque o buffet estava uma delícia e teve muitas atividades.
Entre elas, a que a Nina mais gostou, foi a de andar na corda (um pouco bamba), o slackline (um esporte de equilíbrio sobre uma fita de nylon estreita e flexível)Acho que Nina não é muito boa de equilíbrio, mas se praticar  ela chega lá!



Nina também participou da oficina de brigadeiro e depois ficou toda orgulhosa de sua criação!




Entre tantas atividade, Nina ainda teve um tempinho livre para brincar de bola com as crianças que participaram do evento.



Uma delícia! Agora que já entrou a primavera com o pé direito, é só se concentrar para criar muitas histórias divertidas!

(por Márcia Marquez)

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Nina indica o filme “Uma Viagem Extraordinária”, de Jean-Pierre Jeunet.


Olá pessoal,

hoje fui convidada para ir ao FICIFestival Internacional de Cinema Infantil, com a turma do Cineclube Gigóia, para assistir à pré-estreia do filme “Uma Viagem Extraordinária”, de Jean-Pierre Jeunet.
O festival está acontecendo nas cidades do Rio de Janeiro e Niterói, de 12 a 21 deste mês.
Em Salvador e Aracaju, de 10 a 19 de outubro, em Natal de 31 de outubro a 09 de novembro e em São Paulo de 06 a 16 de novembro.
Se você mora em alguma dessas cidades, entre no site do festival e se programe para assistir aos filmes!



Esse filme extraordinário, conta a história de um menino super dotado de dez anos chamado T.S Spivet, que vivia no Canadá com sua mãe, seu pai, sua irmã mais velha e com as lembranças de seu irmão gêmeo, Layton, que morreu em um acidente com sua própria arma (o que é um absurdo!)
Certo dia, T.S., recebeu uma ligação do Instituto Smithsoniano, comunicando que ele havia ganhado um prêmio, seu projeto sobre novas formas de produzir energia era o melhor de todos. Só que não sabiam que ele era uma criança.
T.S. parte em longa jornada para Washington, deixando um bilhete explicando tudo! Embarca, clandestinamente e perigosamente, num trem de cargas que levava um trailer e outras coisas. Num vagão encontrou um homem que conta a T.S. uma história parecida com a dele sobre um pardal que precisava de abrigo e pediu para um pinheiro que o abrigasse.
No caminho, encontra um policial que quase o pegou. T.S. foi salvo por um daqueles cartazes em tamanho real de propaganda de comida. Não me perguntem como, só mesmo, vendo o filme, rsrs.
Ao chegar aos Estados Unidos, esbarra com outro guarda que o perseguiu e fez com que ele se machucasse pulando numa plataforma em movimento!
Após tudo isso, ainda tem de pegar carona com um caminhoneiro meio doidão, que acaba sendo bem legal!
Ao chegar ao Instituto Smithsoniano conhece a diretora que o leva para um médico e acaba cuidando dele.
Uma coisa que achei bem interessante neste filme, é que T.S. imagina o tempo inteiro! Ele imagina o que vai acontecer no momento seguinte e às vezes se preocupa outras não.
Não percam o filme quando for lançado aqui no Brasil. Procurei a data de lançamento e não consegui encontrar, tomara que seja logo!



Curiosidades:
  • Os pais dele são muito diferentes, mas mesmo assim se amam!
  • A irmã de T.S. é parecida com a Candance do desenho Phineas & Ferb, pois quer azucrinar o irmão de qualquer maneira.
  • T.S. não era o filho favorito do pai porque não gostava de armas, ele era bem diferente, gostava mesmo, era de inventar as coisas.

O que mais gostei:
  • Da parte que o homem do trem conta para T.S. a história e ele fala: “Um pinheiro não teria resistência para abrigar um pardal. Acho que sua avó mentiu para você!”

O que eu não gostei:
  • Que o irmão de T.S. morreu. É um absurdo que uma criança brinque com armas, mesmo que sejam de brinquedo!

Eu indico:
  • Mega indico para todos que adoram uma boa aventura sem terror!

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Leitura do dia: Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J.K. Rowling


Olá pessoal,

hoje vou fazer a resenha do livro (que já é um clássico) Harry Potter e a pedra filosofal. Ele foi lançado em 1997 e é o primeiro livro da série. Gostei tanto que já estou terminando o quarto, Harry Potter e o Cálice de Fogo! E estou muito ansiosa para começar a ler o sétimo e último, Harry Potter e as relíquias da morte.

A história fala sobre Harry Potter, um menino que perdeu os pais num acidente de carro (pelo menos era isso que seus maldosos tios, Válter e Petúnia, diziam).

Válter e Petúnia vivam maltratando Harry, e o obrigavam a dormir dentro de um armário embaixo da escada da casa. Os tios sabiam toda a verdade, mas não contavam porque tinham medo que Harry fosse para a escola de Hogwarts e se tornasse poderoso.

Harry tinha uma cicatriz em forma de raio e não gostava nem um pouco de sua vida na Rua dos Alfeneiros nº 04. Principalmente por causa de seu primo Duda que vivia batendo nele.

Mas o que Harry não sabia é que ele era um bruxo e no seu aniversário de onze anos, o guarda-caça Hagrid, da Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts, contou toda a verdade para ele.

Hagrid teve muitas dificuldades em encontrá-lo, pois mandou milhares de cartas, mas Harry não conseguiu ler nenhuma, porque o tio Válter rasgava todas elas, ou queimava.

Depois de conhecer a verdade, que seus pais não morreram em um acidente de carro, mas que foram assassinados pelo temido Voldemort, mais conhecido por Você Sabe Quem, Harry descobre que quando era bebê, Você Sabe Quem, tentou matá-lo e ele escapou apenas com uma cicatriz na testa. E isso fez com que Harry se tornasse famoso entre os bruxos e por isso Dumbledore, diretor da escola de Hogwarts envia Hagrid com a missão de levar Harry para a escola, mas antes disso é preciso ir ao Beco Diagonal, onde poderia comprar todo seu material escolar.

Foi fascinante para Harry comprar tantas coisas esquisitas que os trouxas (os que não são bruxos) nunca usariam. Mais fascinante ainda, foi chegar na plataforma 9 ¾. É que para chegar lá, ele tinha que atravessar uma barreira aparentemente, sólida!

No trem, conheceu Rony Wesley e Hermione Granger, que viraram seus inseparáveis melhores amigos!
Na escola, Harry, por ser famoso, logo faz amigos, mas também tem que lidar com alguns invejosos e chatos como Draco Malfoy.

Ao longo do ano Harry vai aprendendo a fazer magias, descobre que é um excelente jogador de quadribol, e passa por várias aventuras para encontrar a Pedra Filosofal.
Não escrevo mais porque o livro é muito maravilhoso e vale muito a leitura!
Ah, e quem quiser, também pode assistir ao filme, é muito bom! Mas é legal assistir depois de ler o livro, porque tem um monte de coisas que não colocaram no filme.

Curiosidades:
o livro traz várias coisas interessantes, como feijõezinhos de todos os sabores
sapos de chocolate
figurinhas com fotos animadas
quadros que se mexem, fantasmas amigos e outras tantas, tantas mais…

O que mais gostei:
Foi que Harry conseguiu fazer amizades à primeira vista e que nem se importavam se ele era famoso ou não, só pensavam no bem-estar do amigo!

Eu indico:
Sim, para todos aqueles que gostam de uma leitura emocionante e em algumas horas, arrepiante!

Sinopse:
Em Harry Potter e a Pedra Filosofal, o leitor é apresentado a Harry, filho de Tiago e Lílian Potter, feiticeiros que foram assassinados por um poderosíssimo bruxo, quando ele ainda era um bebê. Com isso, o menino acaba sendo levado para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais, o terrível Lorde das Trevas. 
O menino de olhos verdes, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. 
A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo. Harry Potter conduz a discussões metafísicas, aborda o eterno confronto entre o bem e o mal, evidencia algumas mazelas da sociedade, como o preconceito, a divisão de classes através do dinheiro e do berço, a inveja, o egoísmo, a competitividade exacerbada, a busca pelo ideal a necessidade de aprender, nem que seja à força, que a vida é feita de derrotas e vitórias e que isso é importante para a formação básica de um adulto. 


Título: Harry Potter e a Pedra Filosofal
Título Original: Harry Potter and the Philosopher's Stone
ISBN 9788532523051
Páginas 264
Editora Rocco
Ano 2009
Assunto Literatura Juvenil
Idioma Português
Código de Barras 9788532523051

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

12º Festival Internacional de Cinema Infantil

Começa a partir do dia 12 o 12º Festival Internacional de Cinema Infantil, com meia-entrada para toda a família, o festival começa no Rio de Janeiro e Niterói (12 a 21 de setembro), segue para Salvador e Aracaju (10 a 19 de outubro), Natal (31 de outubro a 09 de novembro) e São Paulo (6 a 16 de novembro). Abrindo o festival, o Fórum “Pensar a Infância” acontece de 08 a 11 de setembro no Oi Futuro – Flamengo, no Rio de Janeiro.
Estarei lá para assistir ao máximo de filmes que eu conseguir e com certeza vou trazer para meu blog as resenhas de alguns deles, principalmente os nacionais! 
Eu indico para as famílias. Ir ao cinema juntos é tudo de bom! <3

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Leitura do dia: "Aurio, o sonhador", de C. G. Thomaz Braga

Oi pessoal! Hoje farei a resenha do livro Aurio, o sonhador, do autor C. G. Thomaz Braga.

Este livro fala sobre Aurio, um boneco que vivia em Naturia, um planeta diferente onde todos os brinquedos podiam falar e ver anjos da guarda no céu.




Em Naturia só tinha um problema: A Ruína, um sentimento que era espalhado por Soton, uma sombra do mal que habitava um espelho amaldiçoado e a única coisa que poderia derrotar a Ruína era o amor!!

Aurio vivia em uma loja, e lá falavam que ele estava com defeito de fabricação por ser todo remendado e diferente. Por não ter sido fabricado pelo Sr. Rucma (o dono da loja de brinquedos onde ele era vendido a preço de banana) que não gostava do boneco e fazia Aurio limpar a lataria e as rodas de Max Supremo, o brinquedo mais caro da loja.

Certo dia, Aurio avistou uma menina muito bonita chamada Ambrosia e como ele escrevia versos, logo criou um lindo para dar a Ambrosia. Mas quando Aurio atravessou a rua para tentar entregar o poema à ela, Max começou a chamar a menina e Aurio ficou perdido na praça.

O Sr. Rucma ficou furioso ao ver o boneco na praça e o colocou para dentro, e foi nesse dia que Aurio conheceu seu anjo da guarda, que falou para ele o quanto Aurio era especial.

No outro dia uns meninos malvados queriam um alvo para brincar de estilingue e Sr. Rucma vendeu Aurio para eles, mas com a ajuda de seu anjo conseguiu escapar da loja e logo foi à procura de Ambrosia para entregar o poema e salvar o mundo das sombras da Ruína!

E a partir daí ele vai viver uma grande aventura!!

Será que ele conseguirá derrotar Soton?

Não deixem de ler.


Curiosidades:

- Achei o Aurio muito fofo, mesmo sendo remendado, e como todos acham “com defeito”. Ele me lembrou e muito, uma boneca bem famosa, a Emília, do Sítio do Pica-pau Amarelo.

- O Anjo da Guarda de Aurio está sempre acompanhado pelas nuvens do conselho.

- As ilustrações são incríveis!

- O autor tem um estilo de escrever bem detalhadamente, isso faz com que o livro fique parecendo um filme!

O que eu mais gostei:

- A parte que eu mais gostei foi o final que infelizmente, eu não posso contar, mas adianto que é muito legal e emocionante.

Eu indico:

- Sim, para todos aqueles que gostam de sonhar e acreditam que podem ser felizes.

Sinopse:

A história “Aurio,o sonhador” é uma narrativa clássica e lúdica, onde a sua premissa reafirma a força transformadora do amor e dos nosso sonhos. A história coloca em cena Aurio, um boneco que se humaniza através dos sentimentos, enquanto homens amaldiçoados se desumanizam pela perda deles. O diferencial desta obra está na capacidade de nos fazer refletir sobre a ética e os valores da vida contemporânea. Uma história original que emociona crianças, adolescentes e adultos.

Editora: Dextra

Ano: 2010

Estante: Infanto-juvenis

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

O livro A Vaca que não gostava do pasto em sala de aula.

Recebemos nesta semana, as fotos de uma atividade de leitura com livro A Vaca que não gostava do pasto, de Nina Krivochein, realizada no Colégio Municipal João Clarimundo de Oliveira, turma Educação Infantil PE 3, em Goiânia, GO. Que delícia de momento, e que alegria para nossos corações saber que a sementinha da leitura está caindo em campo fértil!







Por Joana Cabral

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Leitura do dia: Pindorama de Sucupira, de Nara Vidal

Olá pessoal,
Esses dias recebi um envelope pelo correio, com a coisa que mais gosto de ganhar no mundo: um livro! Pindorama de Sucupira, de Nara vidal, minha amiga autora!

O livro aborda de uma forma bem divertida e criativa a história do descobrimento do Brasil.
Ou melhor, como os indígenas reagiram à chegada dos portugueses e vice e versa.
Acho que é um assunto muito interessante para abordar em um livro infantil, porque normalmente as crianças não gostam muito de estudar história do Brasil, e com esse livro podem achar mais interessante até porque é abordado de uma forma mais divertida!
Ao invés de ser contada pelos historiadores, é contada por uma indiazinha que fala como se os portugueses que fossem um povo atrasado!
Por não conhecer nada sobre a cultura deles, como a mandioca, o tucano, dentre outras coisas.

“Eles não conheciam nada! Ficaram surpresos com a nossa deliciosa mandioca. Certamente de onde vinham nunca tinham comido mandioca! Mas se não comiam o que comíamos, o que será que eles comiam?! Que gente estranha!”

 Curiosidades:
 -      As ilustrações são maravilhosas, principalmente porque são feitas com muitas colagens, e ficou um efeito muito divertido!
-      No livro os índios estranham os nomes dos portugueses, imagino que os portugueses também devem ter estranhado!
-      Sucupira, a indiazinha, representa muito bem a imagem dos indigenas.
-      Na maioria das páginas tem, ou um tucano, ou um passarinho rosa! Ele é muito fofinho!
O que eu mais gostei:
-      Fiquei encantada com as ilustrações!
Eu indico:
-      Sim, para as crianças que acham que a história do Brasil é chata. Ela pode ser divertida quando abordada de outra forma!
Sinopse:
Sucupira é uma árvore nativa do Brasil que testemunhou a chegada dos portugueses e também é o nome da protagonista de uma outra história de Descobrimento. Dona de olhar perspicaz, a indiazinha Sucupira apresenta-se aos leitores como testemunha ocular daquele marcante fato histórico.
Leia e tome parte da História revisada por quem a protagonizou e até hoje tem poucas oportunidades de contá-la a seu modo: nossos índios, representados pela menina Sucupira.
Pindorama de Sucupira
autora: Nara Vidal
ilustradora: Bruna Assis Brasil
Editora: Penninha Edições
Literatura infantil
16 páginas

sábado, 9 de agosto de 2014

Flip 2014, mais um ano de aventuras literárias!


Eu sei que a Flip é uma festa mais voltada para os adultos, mas como eu gosto muito de livros, não deixo de vir nenhum ano! Mas a Flip não é só para adultos, também tem muitas atrações infantis.
adivinha quem está dentro do boneco?

Como por exemplo, os bonecos gigantes da praça, que qualquer criança pode vestir e sair correndo para se divertir. Ainda na pracinha, podemos fazer várias oficinas de brinquedo com material reciclado. E também se der vontade de ler, encontramos livros plantados numa árvore!
O que mais gosto na Flip, são as pessoas que se apresentam na rua,  por exemplo assisti a uma pecinha de teatro de sombra que é apresentada dentro de uma caixinha um pouquinho maior do que uma caixa de sapato. Nós assistimos por um buraquinho enquanto o artista fazia do outro lado. Não deu para entender muito, mas mesmo assim a peça é muito poética! Poesia não é para entender mesmo!

Na Flipinha, tem uma biblioteca com livros e três maravilhosos pufes para ler com conforto. Eu passei muito tempo lendo, lendo e lendo em um pufe vermelhão. Nos outros anos, a biblioteca era um pouco melhor, pois era uma tenda maior e tinha mais variedades de livros. Preferia no outro formato! Era mais Flip! Uma coisa que não gostei muito foi que a variedade de livros era menor, quase não tinha livros para a minha idade.

Desde a primeira vez em que vim à Flip, me encantei com o passeio de charrete, pois passamos por dezoito pontos turísticos e a pessoa que guia o cavalo, explica tudo sobre a história de Paraty. Esse ano, quem guiou a minha charrete foi o Mc Neguinho, seu nome é Tiago.
Recomendo que venham à Flip e se divirtam muito, porque essa oportunidade é única a cada ano. Tem muita diversão para os pais e os filhinhos também! Vocês vão adorar!

sábado, 2 de agosto de 2014

A Menina Esqueleto, uma peça emocionante!


Oi pessoal! 


Hoje falarei sobre uma peça muito diferente. Fui à estreia sábado passado, dia 26, no teatro do Jóquei Clube, aqui no Rio de Janeiro: A menina esqueleto, de Monica Alvarenga.
Essa peça fala de uma lenda do povo Inuit - são os membros da nação indígena esquimó. Eles habitam as regiões árticas do Canadá, do Alasca e da Groelândia (*pesquisei isso na internet!)



Vou começar falando porque achei essa peça diferente:
Primeiro: É bem mais curta do que as outras, pois dura apenas quarenta minutos. Ela é tão fascinante que poderia durar umas duas horas! E também, porque é quase toda apresentada através da dança.
A peça conta a história de uma menina que foi jogada de um abismo pelo pai (bem cruel da parte dele!). E muito tempo depois, a menina (ou melhor, o esqueleto dela) se enrosca na rede de um menino que estava pescando. E ele fica morrendo de medo ao ver um esqueleto falante (até eu ficaria com medo!).
Ele foge para casa, ou melhor, para o seu iglu, e a Menina Esqueleto já está lá dormindo. Ele fica apavorado, mas logo percebe que ela não lhe fará mal algum. Então ele vai dormir e assim que adormece a Menina Esqueleto pega o seu coração. E neste momento ela volta à vida.
Desculpem, mas eu não posso contar o final, pois para saber só assistindo à peça.



Curiosidades:

  • A música da peça é ao vivo, uma tia, o seu nome é Lucina, toca **timbales, bumbo e outros instrumentos e canta músicas, que eu acredito serem do povo Inuit. Senti muita emoção quando ela começou a tocar, porque fui surpreendida!
  • Eu achava que a Menina Esqueleto seria uma pessoa em uma fantasia de esqueleto, mas era uma espécie de fantoche (o nome certo é boneco siamês) que a atriz usa presa num cinto. Isso ficou melhor do que eu esperava.
  • Uma das melhores coisas da peça é que eles se comunicam apenas por grunhidos, e isso também foi muito diferente, porque mesmo sem falar, (é como se falassem!) eu entendi tudo!
  • O iglu do menino pescador é enorme, parece que tem o tamanho real!
  • Eles usam várias formas de contar a história como teatro de sombras, dança e elementos da ginástica artística.

O que eu mais gostei:

  • Da parte em que a Menina Esqueleto está debaixo d'água e fica falando: “pixinho, pixinho, pixinho” com a voz bem fininha. Porque ela está vendo muitos peixes. É muito fofo! Apesar da peça não ter fala em português, essa é a única palavra que consegui identificar!

O que não gostei:

Da parte em que o pai joga a menina do abismo, ela podia ter escorregado e não ter sido jogada!

Eu indico:

  • Sim, para aqueles que pensam que a morte pode ser uma coisa ruim.

Teatro Municipal do Jockey 
até 7 set 2014
dom e sáb 16:30
R$ 20.00

domingo, 20 de julho de 2014

Leitura do dia: Os três amigos; o mistério do nadador secreto.


Olá pessoal! Hoje farei resenha de um livro chamado Os três amigos - o mistério do nadador secreto, que troquei no estande Troca-Troca da FNLJ.
Neste livro temos três personagens principais: Violeta, KC e Danilo.
Por causa de uma competição, Violeta e KC estavam fazendo natação às sete e meia da manhã, antes da escola. Danilo acompanhava as duas para assistir e ir com elas para a escola e quase todo dia, quando chegavam, ouviam barulho de alguém caindo na piscina, mas quando o zelador abria o portão o barulho cessava.
Só que Danilo, o mais novo, não podia fazer natação, então ele saía da arquibancada e investigava.
Foi numa dessas que ele encontrou uma correntinha com a letra R, descobriu também, pegadas no vestiário e uma porta dos fundos que só se abre por dentro! O tempo ia passando e eles descobriam cada vez mais.
A única coisa que eu posso contar é que o nome do nadador secreto é Róbson Rosa, sobrinho da professora (de Violeta e KC), Jéssica Rosa!
Será que elas descobrirão mais sobre Róbson?
Será que irão ganhar a competição?
Não deixem de ler!
Curiosidades:
  • Neste livro as ilustrações parecem ser feitas por crianças!
  • O modo do autor escrever é incrivel, me lembrou um autor que gosto muito, Sérgio Klein, que escreveu a série Poderosa!
  • Este livro tem vários capítulos e quase não dá para parar de ler!!!!
  • No livro, o autor não cita o nome verdadeiro de KC.

O que mais gostei:
  • Do modo do autor escrever pois dá um gostinho de quero mais!
Eu indico?
  • Sim para todos aqueles que gostam de sentir emoção a cada página!

OS TRÊS AMIGOS – O MISTÉRIO DO NADADOR SECRETO
Formato: LIVRO
Coleção: OS TRÊS AMIGOS
Autor: CIRANDA CULTURAL
Idioma: PORTUGUES
Editora: CIRANDA CULTURAL
Assunto: INFANTO-JUVENIS - LITERATURA INFANTIL

Sinopse: Violeta, KC e Danilo sempre estão envolvidos em mistérios que necessitam ser resolvidos. Quando eles começam a ter aulas de natação de manhã, bem cedo, no clube local, eles descobrem que alguém está usando a piscina antes do horário de abertura do clube.


domingo, 13 de julho de 2014

Revista da Gávea entrevista Nina Krivochein

por Joana Cabral
Neste mês de julho, a revista Páginas da Gávea dedica sua edição à literatura infantojuvenil em entrevista com a autora Thalita Rebouças. Nesta edição quem também deixa suas impressões é a nossa menina esperta e antenada, Nina Krivochein.
Longa vida à literatura e às pessoas de bem!
por Joana Cabral
Para melhor visualização do bate-papo com Nina Krivochein, é só clicar na imagem.



segunda-feira, 7 de julho de 2014

Entrevista com a autora Stella Maris Rezende


No Salão Fnlij do Livro para Crianças e Jovens, entrevistei a autora Stella Maris Rezende, que lançou dois livros na ocasião: Missão Moleskine e A Poesia da Primeira vez, os dois pela editora Globo.
Quando eu descobri que a tia Stella ganhou três Prêmios Jabuti numa só noite, fiquei muito impressionada!
Então fui ao lançamento de seu livro no salão e aproveitei para entrevistá-la! No dia anterior pensei muito qual as perguntas que eu faria para ela, então escrevi em um papel e ela respondeu a todas com muito carinho!
Foi um prazer entrevistar a tia Stella Maris Rezende! Eu sempre achei ela o máximo, como acho a maioria das minhas amigas de letras!

Stella Maris Rezende é natural de Dores do Indaiá, Minas Gerais. Mestre em Literatura Brasileira pela Universidade de Brasília, escritora, desenhista, cantora e atriz. Tem dezenas de livros publicados, entre romances, novelas, crônicas, contos e poemas, para o público adulto e o infantojuvenil. Seus livros são recomendados em revistas e catálogos de países latino-americanos e europeus. No final dos anos 1970 e no início dos 80, interpretou a Fada Estrelazul do programa Carrossel, TV Manchete/Brasília, e a Tia Stella do programa Recreio, TV Record/Brasília. Viveu parte da infância em Belo Horizonte, mudou-se para Brasília em 1962 e desde 2007 reside no Rio de Janeiro.
Atualmente, além de escrever, Stella Maris ministra a oficina Letras Mágicas, que incentiva a leitura e a escrita entre crianças, jovens e adultos.
Recebeu prêmios importantes: Prêmio Nacional de Literatura João-de-Barro (1986, 2001 e 2008), Bienal Nestlé (1988), Menções Honrosas da Câmara Brasileira do Livro (1987 e 1988), Altamente Recomendável para Jovens/FNLIJ para a maioria de seus livros, Redescoberta da Literatura Brasileira/Revista Cult/categoria conto (2002), Os 100 Melhores Livros do Século XX/PNBE/MEC, Prêmio Fundação Biblioteca Nacional/ Bolsa para Autores com Obra em Fase de Conclusão (2007), Literatura Para Todos/categoria conto/MEC (2008), Barco a Vapor/Fundação SM (2010), Jabuti 2012 Melhor Livro Juvenil em Primeiro e Segundo Lugar, Jabuti 2012 O Livro de Ficção do Ano, Melhor Livro Infantojuvenil de 2013 da APCA/Associação Paulista de Críticos de Arte.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...