sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Lendo nas férias! Leitura do dia: Chapeuzinho Amarelo,de Chico Buarque

Olá pessoal,
hoje farei a resenha de Chapeuzinho Amarelo, de Chico Buarque, um dos livros que ganhei da creche *CMEI, da Coleção Itaú de Livros Infantis.
O livro conta a história da Chapeuzinho AMARELO. Não é igual à história da Chapeuzinho Vermelho, mas é parecida por uma parte porque ela, um dia, dá de cara com o Lobo.
Então vou contar a história. É assim: A Chapeuzinho Amarelo era uma menina que morria de medo de tudo.
Porque tinha medo, ela não ficava em pé, não saía de casa, não brincava de amarelinha e nem de nada... A personagem é bem parecida com o Pedro, do livro **“O Menino que tinha medo de errar”, de Andrea Viviana Taubman. Ele também não brincava, mas só que tinha medo de errar e a Chapeuzinho Amarelo tinha medo de tudo!
Mas o que ela mais tinha medo era de encontrar um lobo. E de tanto medo, até parecia que o lobo não existia...
Acontece que um dia ela topou com o Lobo e Chapeuzinho foi perdendo aquele medo que tinha de encontrar o Lobo e depois que o medo passou, ficou somente ela e o Lobo. E ele, chateado de não meter medo nela, ficou gritando sem parar: “Eu sou o Lobo, Lobo, Lobo, Lobo...”. Ela perdeu o medo de lobo porque viu que não eram tão assustadores assim!
De tanto gritar LOBO, LOBO, LOBO, LOBO, virou BOLO, BOLO, BOLO, BOLO...
E Chapeuzinho Amarelo começou a dar gargalhadas.
A Chapeuzinho mandou ele parar do jeitinho que estava e ele já não era mais um lobo e sim, um bolo fofo!
Chapeuzinho não quis comer aquele bolo porque preferia o de chocolate, mas começou a perder, um por um, todos os medos que tinha.


Curiosidades:

- Ela devia ser muito sujinha porque não tomava banho.
- As ilustrações são feitas pelo Ziraldo e são maravilhosas! Eu acho que a Chapeuzinho Amarelo é irmã do “Menino Maluquinho”, um personagem muito conhecido do Ziraldo e muito parecido com ela!
- As bochechas da Chapeuzinho Amarelo são bem rosadas!
- E falando em monstros, a Chapeuzinho transformou o nome de vários monstros em animais: Gãodra, Jacoru, Barãotu e Pão Bichopa. Os Tronsmons são muito divertidos!

A parte que eu mais gostei foi a que o lobo vira bolo!
Eu indico este livro para quem tem muito medo de lobo, mas adora comer lobo!



Sinopse:
Chapeuzinho tinha medo de tudo! Já não ria. Em festa, não aparecia. Não subia escada, nem descia. Não estava resfriada, mas tossia. Ouvia conto de fada e estremecia!!!
Considerado um clássico da literatura infantil brasileira, esta nova edição traz o traço de Ziraldo.
Enfrentando o desconhecido --o lobo--, ela supera medos, inseguranças e descobre a alegria de viver. Com sensibilidade, Chico Buarque, compositor e escritor, constrói um texto em que a linguagem é um grande jogo.

Título: Chapeuzinho Amarelo
AutorChico Buarque
IlustraçãoZiraldo
Editora: José Olympio Editora
Edição: 13
Ano: 2003
Idioma: Português
Especificações: Brochura | 36 páginas

FICHA TÉCNICA

ISBN: 85-0300-615-4
Papel e impressão (miolo): Brochura
Peso: 150g
Dimensões: 210mm x 210mm


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Nina indica o filme "Detona Ralph"

Olá pessoal
hoje eu farei a resenha de um filme, só que ainda não está em cartaz, ele só chegará aos cinemas a partir do dia 4 de janeiro de 2013!
Nesta semana fui convidada pela minha amiga, Yasmim Maia da Cunha, para assistir a pré-estreia do filme “Detona Ralph”.



Tudo começa no aniversário de trinta anos do joguinho.
O jogo é assim: O Ralph detona todo o prédio,  depois vem o Félix e conserta tudo de volta com o seu martelo mágico. Depois jogam o Ralph na lama. E quem fizer tudo isso ganha o jogo!
Quando o fliperama fecha, eles (os personagens dos joguinhos) voltam para as suas vidas comuns. 
Como o Ralph não mora no prédio, ele vai para a sua casa que fica no lixão. Ele estava cansado de não ganhar medalha e ser jogado sempre na lama de cima do prédio no final do jogo.
Então o Ralph vai para uma terapia de grupo de vilões. Lá na terapia estavam, o monstrinho do Pac-Man, o Zumbi do Plant versus Zumbies, o Diabo... tinha também o dinossauro do Mário Bros e outros que eu não conheço. Na roda da terapia, eles conversavam uns com os outros e o objetivo era aprender a ser o que eram: vilões!
Quando o Ralph voltou da terapia, viu que os moradores do prédio fizeram uma festa para o Félix comemorando o aniversário de trinta anos do joguinho. O Ralph chegou na cobertura e perguntou o que estava havendo e viu que era uma festa. Ele pediu para entrar e comer um pedaço de bolo. Depois de muito implorar, o Félix deixou. Ele viu que em cima do bolo estavam, o Félix e os moradores do prédio e viu que ele estava lá em baixo na lama. Ralph ficou tão zangado que disse que se conseguisse uma medalha ia ganhar a cobertura e ia ficar em cima do bolo.
Então o Ralph sai do jogo dele e vai procurar outro onde possa conseguir uma medalha. Ele encontra um jogo que tinha a missão de deter os insetrônicos, mas viu que era muito violento, mesmo assim subiu no prédio que guardava a medalha e a roubou!
E quando ele tenta fugir, vai parar em um outro joguinho chamado “Corrida Doce” e lá encontra uma garotinha, extremamente irritante (para ele) chamada Vanellope (uma fofa!). Ele brigam muito e ela consegue pegar a medalha dele para participar de uma grande corrida. As corredoras implicam com ela porque ela é um Bug (falha na programação do jogo). O Ralph fica muito brabo e espanta todas as garotas. Depois, vendo que a Vanellope fica muito triste e chorando porque o carrinho dela ficou destruído, ele decide ajudá-la a ganhar a corrida!
A partir desse momento eles ficam grandes amigos e começa a aventura de fazer um carrinho para ela participar da corrida, enquanto o Félix procura o Ralph com a ajuda de uma garota que ele acha linda!
A Vanellope, o Rei (do jogo de corrida) e todos os personagens do joguinho tem um grande segredo que eu não posso contar de forma alguma!!!

O que achei do filme:
Ele é muito legal porque começa com o Ralph querendo ser o mocinho e não o vilão! Ele não estava feliz em ser do mal! Estava achando muito chato e na tentativa de mudar, Ralph acaba encontrando uma grande amiga, Vanellope.
O filme fala de amor, amizade e me fez ver que todos tem os mesmos direitos: Se a Vanellope era um Bug, ela também podia participar da corrida! É óbvio que podia!

Curiosidades:
No macacão do Ralph falta uma alça.
A Vanelope tem vários docinhos no cabelo e é muito linda!
Quando os personagens se locomovem de um joguinho para outro eles usam os fios elétricos e tomadas.
Nesse joguinho tem uma queda de Mentos na CocaCola diet, que quando cai, explode!!!
Me deu vontade de comer doces depois do filme!!

Uma dica:
- Depois do filme eu baixei um joguinho no meu Ipad que é do Conserta Félix. É hiper divertido!!
Eu indico esse filme, principalmente, para crianças que são muito diferentes das outras e não estão contentes! Mas é um filme que todo mundo vai gostar!! Eu super indico!!




Sinopse:

Ralph (John C. Reilly) é o vilão de Conserta Félix Jr., um popular jogo de fliperama que está completando 30 anos. Apesar de cumprir suas tarefas à perfeição, Ralph gostaria de receber uma atenção maior de Felix Jr. (Jack McBrayer) e os demais habitantes do jogo, que nunca o convidam para festas e nem mesmo o tratam bem. Para provar que merece tamanha atenção, ele promete que voltará ao jogo com uma medalha de herói no peito, no intuito de mostrar seu valor. É o início da peregrinação de Ralph por outros jogos, em busca de um meio de obter sua sonhada medalha.

Trailer dublado:




Para mais informações sobre o filme CLIQUE AQUI!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Lendo nas férias! Leitura do dia: Gaspar no hospital, de Anne Gutman

O livro conta a história de Gaspar no hospital.
Nas férias Gaspar levou os cães dos vizinhos para passear e o dinheiro que ele ganhou deu para comprar um chaveiro que era o mais bonito da loja!
Ele mostrou para todos os colegas da classe, mas ficou com medo que roubassem o chaveiro, e escondeu o chaveiro na boca.
Mas aconteceu que ele engoliu o chaveiro e logo mandaram Gaspar para o hospital.
Lá no hospital tiraram o raio X e aí souberam que tinha engolido o seu chaveiro de carro de corrida.
Eles falaram que iriam operar o Gaspar e pediram para que contasse até dez, mas no três ele dormiu e sonhou que estava pilotando um carro de corrida gigante!
Quando acordou não tinha sentido nada, mesmo e já era noite. Os pais foram visitá-lo no hospital e levaram um grande presente: era um carro de corrida bem grande! Assim ele não engoliria mais.

A parte que eu mais gostei foi quando o Gaspar ganhou o carro de corrida grande, porque assim ele não iria mais engolir e nem parar no hospital de novo!

Curiosidades:
  • O Gaspar deve ter ganhado pouco dinheiro passeando com os cães, porque ele só conseguiu comprar um chaveiro!
  • Ele ficou em uma cama muito grande para o tamanho dele!
  • Dois cães eram maiores do que ele.
  • Quando o cão fez cocô, o Gaspar não catou. Não podemos deixar cocô na calçada!

Coisas que aprendi:
  • Nunca devemos colocar coisas pequenas na boca.
  • A palavra catástrofe que quer dizer um grande acidente ou quando acontece uma coisa muito ruim!

Indico esse livro para crianças que botam qualquer coisa na boca.


Com a delicadeza e a sensibilidade que marcam os livros da série, os autores abordam o medo que as crianças sentem de ir ao médico. Gaspar engole um chaveiro, e precisa fazer uma operação para retirá-lo da barriga. Apesar de seu medo, tudo dá certo, e ainda por cima ele recebe uma bela surpresa. Quer ver o que ele ganhou? Leia este livro!

Editora: Cosac Naify




sábado, 1 de dezembro de 2012

Leitura do dia: "O Casamento do Século", Turma da Mônica Jovem



Oi pessoal,
hoje vou fazer a resenha do gibi “O Casamento do Século”, da Turma da Mônica Jovem.
Eu nunca fiz resenha de gibi, mas esse é especial porque fui de banca em banca, da minha escola até em casa procurando esta revista e não a encontrei, mas quando minha mãe voltou da análise, ela achou e me deu. Fiquei mega feliz!
O gibi conta a história sobre o casamento da Mônica e do Cebolinha.
A história começa com os dois brigando porque o Cebolinha convidou a Irene para passear com eles e a Mônica fica com ciúmes! 
Então aparecem os cupidos de preto, porque quando a coisa vai mal, sempre entra em cena o Anjinho que nesta história se chama Ângelo. Um deles tem um Notebook Of Love (Notebook do Amor) que vê o futuro das pessoas. Eles ativam dez anos no futuro e ficam vendo o que acontece com a Mônica e com Cebolinha. Então eles vêem que o Cebolinha pediu a Mônica em casamento e ela aceitou.
O casamento foi um sucesso, porque tinha muita gente e muitos personagens também. 
A Mônica jogou o buquê e a Irene pegou, a Mônica fez uma cara de braba, mas disse: “Parabéns Irene, espero que consiga um bom marido!”. Na hora em que a Mônica termina de falar, chega um rapaz e se interessa pela Irene.
Depois da festa eles chegam em casa e vêem que ainda não tinham aberto um monte de presentes, então resolveram abrir. Um deles era do Cascão e da Cascuda que era um coração de cristal.
No cartão dizia: “que seja eterno enquanto dure!” . O Cebolinha pendura no teto para lembrar que naquela casa o amor está acima de tudo.
No dia seguinte começa a rotina de marido e mulher. A Mônica leva o café na cama para o Cebolinha e ele insiste em arrumar a cozinha, mas a cozinha estava a maior bagunça!
O resto eu não vou contar, senão vou falar como vai ser a vida de casado dos dois!

Curiosidades: 
-  A Magali continua comilona.
- Os quadrinhos são em preto e branco e em alguns desenhos eles não estão com a cara completa! Eu acho isso engraçado!
- As meninas estão muito mais bonitas do que na infância e a Mônica não está mais usando tanto vermelho.
- O gibi vem com um poster lindo!
- O Cascão está casado com a Cascuda e o filho deles gosta muito de água! E o Cascão agora toma banho, mas continua sem gostar de água!

A parte que eu mais gostei foi a que a Mônica entra na igreja porque a Mônica está muito linda!!
Eu recomendo esse gibi para as crianças que acreditam no amor da Mônica e do Cebolinha!


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Leitura do dia: Amizade Desenhada, de Ana Cristina Melo

Oi pessoal, hoje vou fazer a resenha do livro de uma grande amiga minha, a escritora Aninha!
O livro conta a história sobre Rita, uma garota que quase não falava. Quando era bebê, nem chorar ela chorava... Mas Rita gostava muito de desenhar e o desenho falava por ela!
Um dia, Rita foi para a escola e todos os amiguinhos acharam estranho o jeito dela, porque quase não falava. Como Rita era diferente, começaram a implicar: batiam na sua testa, pegavam sua borracha, empurravam ela e um dia até bateram em sua mão. 
Nesse dia alguma coisa mudou: a mão dela parou de desenhar, então Rita chorou e disse para a sua mãe que nunca mais queria ir para a escola.
Então a mãe de Rita falou com a diretora, que falou com a professora que deu uma bronca nos alunos e todos deixaram Rita em paz.

Logo depois esqueceram a bronca e começaram tudo de novo, mas a mão de Rita já estava boa de novo...
Então chegou uma garota nova na escola, seu nome era Violeta e ela falava pelos cotovelos, logo Rita e Violeta ficaram grandes amigas e sempre que implicavam com Rita, Violeta a defendia.
Como uma falava muito e a outra desenhava muito, elas juntaram suas habilidades e escreveram um livro. Então elas passaram a morar dentro dele!

Curiosidades:
As ilustrações parecem feitas com giz de cera e tem uns rabiscos que para mim representam quando a Rita era bebê! E as ilustrações são bem criativas!
A borracha da Rita tem a mesma cor da saia da Violeta.
A parte que eu mais gostei foi a que elas passaram a morar em um livro.
Eu aprendi com essa história que a gente não deve ligar quando as pessoas começam a implicar com alguma coisa que fazemos!
Eu indico esse livro para as crianças que estão entrando na escola agora!


Sinopse:
O bullying pode ser combatido por uma grande amizade pode precisar só de papel e lápis... e muita imaginação! Uma menina bonita e muito inteligente, essa é a Rita. Ela tem um jeitinho que parece incomodar a todos: vive calada, quase não fala nada. Mas quando a boca fica fechada, é a mão que fala por ela; as mãos de Rita conversam desenhando. Mas a família nunca entendeu como a menina podia ser tão caladinha assim.

Na escola não era diferente, os colegas também achavam a menina esquisita e começaram a arrumar confusão com ela. A Rita era tão perseguida pelos colegas que chegou ao ponto de não querer mais ir para a escola. Foi preciso sua mãe reclamar com a diretora, para que a professora desse uma bronca na turma e controlasse as brincadeiras de mau gosto. Mas só por um tempo; logo as crianças começaram de novo a chateação. 

Porém, Rita agora não se deixava mais chatear. Quando alguém arrumava confusão, ela fazia um desenho. Chegou até a inventar um copo diferente – o copo da chateação. Toda vez que alguém mexia com ela, desenhava um pouco de tristeza dentro do copo. E assim foi aguentando até que um dia apareceu uma menina nova na sala de aula, a Violeta, que parecia ser muito sapeca. Violeta falava pelos cotovelos, e Rita, só pelas mãos. Mas, apesar de tão diferentes, elas logo ficaram muito amigas. Violeta não ligava se Rita não falava, e tagarelava pelas duas. E quando alguém tentava mexer com sua amiga, ela a defendia. A amizade foi crescendo e elas inventaram um jeito só delas de conversar, usando a arte e a imaginação. E a partir dali, ninguém mais arrumou confusão com elas... e ninguém mais as viu separadas.

Ana Cristina Melo retrata com sutileza e sensibilidade um dos assuntos mais discutidos na atualidade, o bullying na escola, e mostra como é possível superar as dificuldades quando se tem ao lado um grande amigo. Mostra ainda que as diferenças podem ser muito divertidas e até complementares. Com delicadas ilustrações da carioca Cris Alhadeff, Amizade desenhada é um livro que diverte e educa, para ser lido e debatido em família e no ambiente escolar.
 


AUTOR: Ana Cristina Melo

ILUSTRADOR: Cris Alhadeff

TÍTULO: AMIZADE DESENHADA
ISBN: 9788563877642
IDIOMA: Português
ENCADERNAÇÃO: Brochura
FORMATO: 21 x 21
PÁGINAS: 60
ANO DE EDIÇÃO: 2012
EDIÇÃO: 






Onde encontrar:


domingo, 11 de novembro de 2012

Leitura do dia: O Sapo Curioso

Hoje vou fazer a resenha de um livro que ganhei na minha visita ao CMEI em Goiânia, Goiás.
Fala sobre um sapo muito curioso chamado Ferdinando. Ele queria saber tudo.
Um dia, sua mãe foi fazer compras e disse pra se encontrarem na hora do almoço na grande árvore.
Então, Ferdinando andou, andou e topou com o Grande Olavo em sua bicicleta, então ele como era curioso, logo perguntou:
- Aonde você vai, com tanta pressa?
Mas já era tarde, o Grande Olavo tinha seguido seu caminho.
E depois topou com o Dino, com o Felício, o Fredi, o Fabi, o Francis e o Felix, mas ninguém respondia, quando perguntava para onde estavam indo. Ele sempre ficava esperando a resposta, mas sempre era tarde demais...
Então, finalmente, topou com sua amiga Flora que pediu para segui-la.
Quando chegou na grande árvore, teve uma enorme surpresa! Mas eu não vou contar. 
Senão vou entregar o final do livro, mas deixo aqui a dica para uma boa leitura!

Curiosidades: 
- As ilustrações em 3D são muito divertidas, algumas têm até um barulhinho!
- Esse livro, no final, tem um pouco de matemática.
- O chapéu da mãe de Ferdinando é feito de flores.
- Os sapos têm diversas cores: laranja, azul, lilás, amarelo e vermelho. O único sapinho que é verde, é o Ferdinando.
- Na página nove, quando Ferdinando encontra Fredi e Fabi, ele diz para seu amiguinho Fredi que ele é verde, mas é azul. Fiquei confusa com isso e mesmo lendo duas vezes, não entendi.
- Também achei muito estranho porque não consegui encontrar o nome do autor. Pensei: Como é que uma história pode existir sem um autor? 


Indico esse livro para crianças que ainda não sabem contar até dez!



Sinopse:
A Coleção Bichos Divertidos em 3D convida a criança a viver aventuras incríveis nos lugares mais inusitados. Suas páginas ricamente ilustradas ressaltam o que o texto diz e farão com que as crianças se apaixonem pelos personagens das histórias. A cada página virada, uma surpresa diferente! Resenha: Acompanhe o sapo Ferdinando nesta divertida aventura, em que ele sai saltitando pela floresta, encontrando os amigos. Mas...aonde vão eles com tanta pressa?

Autor: THE BOOK COMPANY
Assunto: LITERATURA INFANTO JUVENIL
Coleção: BICHOS DIVERTIDOS EM 3D
Faixa etária: 3 a 5 anos
Páginas: 16
Formato: 20x26,5 cm
Acabamento: CAPA DURA - COUCHE
ISBN: 8573897872
EAN: 9788573897876
Selo: TODOLIVRO DISTRIBUID

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Leitura do dia: " A Festa no céu: Um conto do nosso folclore", de Angela Lago

Hoje eu vou fazer a resenha do livro “ A Festa no Céu, um conto de nosso folclore”, de Angela Lago. Este livro eu ganhei em uma visita que o meu projeto Autores Mirins fez ao CMEI Viver a Infância, em Goiânia.
Este livro faz parte do projeto Coleção Itaú de Livros Infantis. Recebi outros dois e depois faço a resenha também.


Escolhi fazer a resenha deste livro em primeiro lugar porque no meu aniversário de sete anos, a festa foi uma peça de teatro desta história e eu amei!

O livro conta a história sobre a tartaruga que queria ir a uma festa no céu. Só que a festa era só para os bichos que voavam, mas ela teve uma grande ideia e se enfiou dentro do violão do Urubu-Rei, e quando o urubu foi, ela foi junto.
Quando ela chegou todos se impressionaram como aquele animal sem asas tinha conseguido ir à festa!
E ela cantou e sambou a noite inteira!
A festa durou até o sol raiar e quando acabou, a tartaruga entrou no esconderijo de novo. E ficou quietinha para o urubu não perceber.
Mas no meio do caminho, o Urubu-Rei de tão contente assobiou um samba da festa e a tartaruga começou cantarolar também.
O urubu percebeu, virou o violão e a tartaruga caiiiiiiiiiiiiiiiiiu.
Então ela quebrou todo o seu casco, mas os bichos que não voavam ajudaram ela a colar o seu casco e por isso que ela tem esse casco tão remendado!

Curiosidades:
- O livro é narrado por todos os animais que não voam. Eu nunca vi um livro assim! Que legal!
- As ilustrações parecem que foram feitas de crayon e eu achei muito lindas!
- O lacinho da cabeça da tartaruga é muito fofo! rs
- Uma coisa eu estranhei é que a pavoa tem a cauda igual a dos pavões. E as pavoas não têm a cauda grande e enfeitada. *As pavoas têm as penas marrons, por isso conseguem fazer o seu ninho sem que os predadores a vejam!

Eu recomendo esse livro para todos que pensam que animais não são inteligentes!

*fonte de pesquisa: pesquisei no livro que ganhei do meu padrinho Henrique. “Como? Onde? Por quê? Perguntas e Respostas sobre o mundo animal” Editora Girassol. Pág. 80.


Sinopse:
Ia ter uma grande festa no céu, mas os animais sem asas estavam muito tristes porque não poderiam ir. Imaginavam a música e a comida que iriam aproveitar.
Mas a tartarugadecidiu ir à festa, e teve uma ideia genial!
Será que ela vai conseguir?

A Festa no céu: Um conto do nosso folclore
Autora e ilustradora: Angela Lago
Editora Melhoramentos, 2005. São Paulo.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Leitura do dia: "O Homem que Amava Caixas", de Stephen Michael King


Hoje, escolhi um livro que estudei na escola, O Homem que Amava Caixas.
Ele conta a história de um homem que amava caixas.
Ele gostava de todo tipo de caixas; redondas, pequenas, grandes e altas.
O homem tinha um filho que o amava, ele também amava o filho, mas tinha dificuldade para dizer ao garoto que também o amava... Então fazia brinquedos com as caixas; por exemplo; castelos, aviões de papelão que realmente, voavam. 
Eu, também gosto muito de caixas. Sempre que as compras chegam, eles trazem um monte delas, então pego as caixas e transformo em foguetes, casinha para o meu cachorro e robôs.

Eu recomendo esse livro para todos que amam caixas porque elas despertam a nossa imaginação para criar brinquedos e coisas como uma máquina de lavar. Você só precisa de cola, tesoura, canetinhas, só uma pitadinha de imaginação e, PUF! Você vai ter uma bela máquina de lavar roupas!!



Curiosidades e coisas que eu aprendi: 



Sempre devemos reciclar objetos, se não eles poluem nosso planeta e sempre devemos aproveitar tudo.

O homem fez até uma pipa para o filho.
Amei o livro porque ele tem uma ilustração linda!



Sinopse: 
Este livro fala de maneira simples e bonita sobre o relacionamento entre pai e filho. Com ilustrações alegres e muita sensibilidade, "O Homem que Amava Caixas" conta a história de um homem que era apaixonado por caixas e por seu filho. O único problema é que, como muitos pais, ele não sabia como dizer ao filho que o amava.

2a. edição, 1997
Brinque Book

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Leitura do dia: A Festinha, de Bárbara Reid

Oi pessoal
hoje li um livro que meu pai me deu especialmente para eu fazer uma resenha.
O livro conta a história sobre duas garotinhas que foram a uma festa de família, mas queriam ficar brincando com os amigos. Elas achavam que a festa iria ser chata, mas tiveram uma grande surpresa!
Elas adoraram as bricandeiras que seus primos fizeram na festa de aniversário.
A parte que eu mais gostei foi quando cantaram o parabéns para o vovô e as crianças brincaram de pique-tubarão e depois caça ao tesouro e esconde-esconde.
Eu recomendo esse livro para todas as crianças que não querem ir a uma festa de família.

Curiosidades:
- As ilustrações deste livro são lindas! Acho que são feitas de massinha de modelar!
- Até o cachorro come bolo e ele, também, usa chapéu de festa.
- A tia das meninas tem o nome da minha mãe!


Sinopse: 
A vovó está fazendo aniversário e toda a família vai se encontrar para comemorar essa data tão especial. A festa segue maravilhosa com a mesa farta, o corre-corre das crianças, as brincadeiras sem fim. Um dia muito especial, contada de uma forma singela e delicada, pela visão de uma das netinhas da bondosa vovó.

AUTOR(A): BARBARA REID
EDITORA: CARAMELO
NÚMERO DE PÁGINAS: 30
VERSÃO: Impressa
ISBN: 8573402997
DIREITO AUTORAL: Copyright
CÓDIGO DE BARRAS: 9788573402995


terça-feira, 21 de agosto de 2012

Leitura do dia: Vovô, de John Burningham

Hoje eu vou falar sobre o livro mais diferente que já li.
Ele conta a história da amizade entre o vovô e a netinha. 
Na verdade ele não conta uma história como os “outros” livros. 
Ele não conta assim: Era uma vez um vovô que um dia recebeu sua netinha... Não! Esse livro não é assim!
Ao invés de narrar a história, ele só escreve as conversas entre o vovô e a netinha.
E no diálogo e nas ilustrações nós já vamos imaginando a história começando com a neta que chega na casa do vovô. Depois eles vão plantar sementinhas, brincar juntos de comidinha e até brigam. Eles também vão à praia, brincam na neve e pescam. 
No fim, o vovô fica doente e não pode sair para brincar e quando vai para o hospital a netinha fica super triste se lembrando de quando eles brincavam.

Curiosidades: 
- A parte que eu mais gostei foi a que eles brincam de comidinha, porque ela é muito fofinha fazendo “sorvete” de morango.
- Eu acho que o tio John Burningham virou vovô e escreveu esse livro.
- As páginas têm ilustrações coloridas e em preto e branco. A parte colorida é a história e a parte em preto e branco são as lembranças do vovô. 

Eu não entendi muito esse livro, mas a minha mãe me falou que ele é igual a um poema, não precisa entender.
Beijinhos da Nina Krivochein

Sinopse:
Neste livro, John Burningham aborda a relação afetiva entre uma menina e seu avô. Juntos, eles compartilham momentos preciosos: plantam mudas no jardim, brincam de boneca, tomam sorvete de mentirinha, constroem castelos de areia, esquiam na neve... Os diálogos entre os dois, aparentemente desconexos, convidam o leitor a interpretá-los com cumplicidade. As ilustrações coloridas retratam a realidade das brincadeiras, enquanto os desenhos a traço guardam imaginação e memórias. Uma obra sensível, sobre infância, afeto e perda. 

Autor e ilustrador : John Burningham
Tradução: Claudio Alves Marcondes
Quarta capa: Sophie Van der Linden
Idioma: Português


Para comprar clique AQUI!


Nota da “mamãe escriba”
“Gostaria de relembrar que as resenhas da Nina são, fielmente transcritas por mim sem quaisquer modificações na estrutura das frases, muitas delas, claramente, produto da fala de uma criança de oito anos, em processo de aquisição da “fala culta”, mas livremente, “reiventando” seu idioma para adequá-lo, de forma espontânea a seu mundo particular, a seu rico imaginário infantil.”
Joana Cabral, ficcionista

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Leitura do dia: As Férias de Amelie e Júlia, de Nara Vidal



Hoje, eu li o livro As Férias de Amelie e Júlia que comprei no lançamento, na Casa de Cultura Laura Alvim.



O lançamento foi muito divertido porque teve várias novidades: a tia leu o livro, teve o sorteio de um kit jardinagem e muitos cup cakes saborosíssimos! Fiquei muito feliz por ter ganhado o sorteio de um kit e plantei uma salsinha. Ela já está com raiz, caule e folha bem pequenininhos por enquanto, mas ela vai ficar bem grande.



O livro conta a história de Amelie e sua prima Júlia. Amelie mora na Inglaterra e Júlia no Brasil. Elas conversavam pelo computador e assim cantavam músicas e contavam casos uma para a outra pela internet.
Um dia, Júlia foi visitar sua prima para comemorar o aniversário de Amelie. Ela estava ansiosa para ver a neve porque Amelie tinha dito que na Inglaterra nevava.
Quando chegou à Inglaterra, Júlia ficou triste porque não viu a neve. Então elas ficaram brincando de bonecas o dia inteiro.
No dia seguinte, acordaram muito felizes porque estava nevando.
Amelie gritava SNOW, SNOW! E Júlia gritava NEVE, NEVE!

Clique na foto para ver ampliado!


Algumas curiosidades:

  • Esse livro tem uma coisa especial, ele está escrito em português e inglês, e no final tem uma receita de cup cake porque elas comemoram fazendo cup cake cor de neve!
  • As ilustrações do livro são lindas. O tio Alexandre usa todas as cores do mundo! O cabelo da Amelie e da Júlia é muito colorido. Eu queria ter um cabelo colorido assim!
  • No livro explica porque na Inglaterra é inverno e no Brasil é verão ao mesmo tempo. Eu já tinha estudado isso no ano passado, mas não me lembrava direito. Quer saber como? Então vai ter de ler o livro!

Eu recomendo esse livro para quem quer aprender inglês! Ele é divertido e ensina!
Beijinhos da Nina Krivochein


Sinopse:

Durante a visita de Julia à Inglaterra para comemorar o aniversário de Amelie, algo de muito especial acontece. Venha comemorar o aniversário de Amelie e descobrir as surpresas deliciosas que chegam junto com sua prima brasileira, Julia. Você é nosso convidado especial!

Da série “O Curioso Mundo de Amelie“.


Autora: Nara Vidal
Ilustrador: Alexandre Gaudereto
Editora: Faces
Pág. 20

Para comprar clique AQUI!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Leitura do dia: "O Gato e o Diabo", de James Joyce

Oi pessoal, hoje eu li outro livro da Editora Cosac Naify.

Ele conta a história sobre um menino que recebeu uma carta de seu avô, onde explicava a história da cidade de Beaugency.



Dias antes de chegar a carta, o menino ganhou um gatinho recheado de bombons de seu avô, é sobre o Diabo e o gato que o avô conta a história. Por isso o título do livro é O Gato e o Diabo.


A carta dizia assim: há muito, muito tempo, a cidade de Beaugency tinha um rio enorme chamado Loire, mas naquela época não havia uma ponte para atravessar de um lado para o outro porque os habitantes estavam sem dinheiro para construir a ponte, nem para pagar alguém para fazer a ponte para eles.



Então, o Diabo que vivia lendo o jornal, resolveu ajudar! Depois ele conversou com o prefeito da cidade e propôs construir uma ponte para eles. E o prefeito perguntou quanto iria custar o trabalho e o Diabo disse que não custaria dinheiro algum. Mas em troca a primeira pessoa que passasse na ponte seria do Diabo!
O Prefeito concordou, e o Diabo construiu a ponte em uma noite! 

No dia seguinte, todos ficaram admirados com a ponte. Mas niguém se atraveu a atravessar a ponte porque eles estavam com medo do Diabo, como até você ficaria! 

O Prefeito chegou com um gato debaixo do braço e no outro braço segurava um balde cheio d'água, então ele botou o gato no meio da ponte e jogou água em cima dele. O Gato não pensou duas vezes, foi correndo para os braços do Diabo.
Então o Diabo agarrou o gato ficou, cuidando dele e disse para o povo que eles não eram gente boa, que não passavam de gatos de telhado, ou seja, vira-latas. 
A parte que eu mais gostei foi a que o gatinho vai embora com o Diabo, porque é muito fofo o Diabo ser amigo de um gato. 
As ilustrações são lindas e com bastante detalhe. 

Tem uma página que é bem engraçada; é a parte em que o Diabo e o gato vão embora e fica aparecendo o rabo dos dois.



Algumas curiosidades:



A tia que fez a tradução do livro, Lygia Bojunga, é uma escritora de livros infantis bem conhecida. Eu tenho o livro “Os Colegas” que ela escreveu há muito tempo!

O meu pai disse que o tio que escreveu a história, James Joyce, é um escritor bem famoso. Ele escreveu um livro chamado Ulisses, bem grosso que passa todinho num dia só! 
Outra coisa legal neste livro é que tem um monte de palavras em francês, mas a gente encontra a tradução! É legal porque aprendemos algumas palavras em outra língua. 

Eu recomendo muito esse livro porque o Diabo não é mau como nas outras histórias, porque nessa história o Diabo não é nada mau, ele é do bem!
Beijinhos da Nina Krivochein!

Autor: James Joyce
Ilustração: Lelis
Tradução: Lygia Bojunga
Idioma: Português
Coleção: Dedinho de Prosa

Sinopse:

Para comemorar os dez anos da coleção Dedinho de Prosa, a Cosac Naify presenteia os leitores com uma obra pouco conhecida do inventivo autor de Ulysses (1922) – O gato e o Diabo, carta que James Joyce escreveu em 1936 para o seu neto Stephen, na época com quatro anos. O texto só foi tornado público cerca de vinte anos depois e sua repercussão foi tamanha que chegou a ser traduzido para mais de dez idiomas. Esta edição caprichada conta com tradução inédita da premiada autora infantil Lygia Bojunga e aquarelas do cartunista mineiro Lelis. O livro chega às lojas no Bloomsday, em 16 de junho, data em que o mundo todo celebra a obra de James Joyce.

Inspirado em um conto bastante popular francês que, supõe-se, Joyce tenha ouvido durante seu exílio naquele país, o livro narra a divertida história de um diabo interesseiro que constrói uma ponte na pequena cidade francesa de Beaugency, numa barganha com o prefeito, em troca da alma do primeiro a atravessá-la. Mas, no fim das contas, ele acaba caindo na própria armadilha. Com final surpreendente, o texto joga com a inversão de papéis entre o bem e do mal – o Diabo de Joyce é ingênuo e inofensivo, e confunde-se com a figura do própria autor através do traço do quadrinista Lelis. 

Saiba mais sobre o livro no site da Editora Cosac Naif

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Leitura do dia: "O Leão de tanto urrar desanimou", de Paulo Valente



O livro conta a história sobre o Rei Leão que não queria mais ser rei!
Um dia, como todos os outros no reino, o Primeiro-Ministro, Conde Macaco, chega para o Rei Leão e lê toda a lista de coisas que o rei tem de fazer todos os dias.
O Rei Leão tem um ataque de raiva porque estava enjoado de ser o rei. Então ele resolveu escolher um bicho da floresta para reinar em seu lugar.
O Conde Macaco diz ao rei que se ele escolher outro animal, ele quebrará a tradição dos reis leões e rainhas leoas. Mas mesmo com os pedidos do macaco, o Rei insiste em escolher outro animal para governar.
Então o Rei Leão pensa que o novo rei tem de ser um animal forte e logo pensa no elefante. O Elefante se apresenta para o rei e depois de dizer tudo, o Conde Macaco cochicha na orelha do Rei que um elefante forte não será muito bom, porque ele não é muito rápido.
O Rei tentou vários animais, mas todos tinham algum defeito porque ninguém é perfeito (ih, rimou!).
Quando o rei desistiu de escolher outro animal para substituí-lo, o Conde Macaco teve a ideia de fazer uma eleição. Que vença o mais votado!

Eu gostei muito do livro, porque ele fala de todas as qualidades dos animais e todos os defeitos também!
As ilustrações são muito divertidas, e eu achei bem legal a página em que eles colocam as letras dentro da boca do rei leão!
Esse livro é diferente porque ele não tem um final total (ih rimou de novo!) e a criança pode ficar pensando qual pode ser o final que ela prefere para esse livro!
Pense você mesmo!
Eu diria que o mais votado não seria ninguém, porque cada um votaria em si mesmo!

Eu também aprendi um monte de palavrinhas novas:
Cortejo: que significa acompanhamento, procissão.
Triunfal: que significa vitória, grande êxito.
Pompa: que significa grande luxo.
Incomensurável: que significa imenso, impossível de medir.
Salamaleque: que siginifica saudação cerimoniosa entre os mulçumanos.
Encabulado: que significa embaraçado, acanhado.

Beijinhos da Nina Krivochein!


Livro: O LEÃO DE TANTO URRAR DESANIMOU
Autor: Paulo Valente
ISBN:978-85-62500-35-0
Páginas:40
Formato : 20x26,5
Preço : R$ 34,00 

Sinopse:
Não se pode agradar a gregos e troianos. Este provérbio popular traduz fielmente o impasse de quem vive de fazer política. O leão de tanto urrar desanimou é um livro sobre eleições... para crianças! Inspirada na peça musical Carnaval dos animais, do francês Camille Saint-Saens, a obra, que marca a estreia do carioca Paulo Valente na Rocco Pequenos Leitores, é uma divertida fábula que aborda questões como política e democracia de forma lúdica e bem-humorada.
No livro, o pequeno leitor descobre que ser o rei da selva não é apenas viver de sombra e água fresca: “O Rei aparenta cansaço, aborrecido com a rotina e aquela pompa, tantas vezes repetida. Quando finalmente abre a boca, o público se surpreende: Uaaauurrr... ai, ai, ai... que preguiça...”
Cansado das preocupações que a vida de rei dos animais lhe reserva, o leão quer se aposentar. E eis que surge o dilema: Qual seria o animal forte o suficiente, que carregue o peso da responsabilidade e imponha respeito aos demais para substituir o Rei Leão? Escolher um substituto não é nada fácil em meio aos interesses de cada espécie. Afinal, quem conseguiria acalmar os sapos que pedem por mais mosquitos e amansar os mosquitos que exigem menos sapos? Quem sabe dizer qual bicho tem o pescoço mais comprido: a girafa ou a cobra? Depois de tantos questionamentos, a solução é convocar uma eleição geral.
Cada página do livro surpreende o leitor com a riqueza de detalhes e cores vívidas que compõem as ilustrações marcantes de Rogério Soud, que iniciou sua carreira desenhando histórias em quadrinhos infantis. Em tempos de CPI’s, escândalos e novas eleições, o livro apresenta o difícil tema da política para os pequenos leitores de forma lúdica. Para saber como acabou, só mesmo entrando nessa história do Rei que de tanto urrar desanimou!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...